Cassino é assaltado na Suíça

Cassino é assaltado na Suíça

Homens armados e encapuzados realizam roubo cinematográfico e levam cerca de US$ 300 mil

Jamil Chade, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2010 | 00h00

CORRESPONDENTE

GENEBRA

A realidade superou a ficção na noite de ontem na cidade da Basileia, na Suíça. Em uma operação espetacular, digna de um roteiro hollywoodiano, dez homens fortemente armados e encapuzados invadiram um cassino e levaram centenas de milhares de euros, de acordo com a polícia local.

O roubo ocorreu no Grand Royal Cassino da Basileia, para a surpresa dos suíços. Policiais da França e da Suíça lançaram uma busca aos ladrões ontem, logo após o roubo. Eles conseguiram desaparecer pela fronteira entre os dois países.

O assalto ocorreu à noite, na madrugada de sábado para domingo, por volta as 4 horas (horário local), enquanto cerca de 600 pessoas lotavam o cassino para fazer suas apostas. Conhecido como "Las Vegas da Suíça", o cassino de Basileia tem aproximadamente 360 máquinas caça-níqueis e 15 mesas de jogo.

O caixa-forte do cassino, no entanto, estava bem protegido e não foi levado pelos ladrões, que não puderam entrar na sala onde estava grande parte do dinheiro mantido pelos proprietários. A porta da sala onde fica o cofre foi metralhada, mas nem assim os larápios conseguiram derrubá-la. No entanto, eles afanaram dos caixas, localizados em outros andares, milhares de euros ? agentes da polícia suíça calculam em US$ 300 mil o prejuízo total.

Os dez ladrões chegaram em dois carros prateados da Audi com placas da França. Todos falavam francês e usavam capuzes e máscaras de esqui. Em um país que registra apenas 65 homicídios por ano, a polícia descreveu o roubo como sendo de uma "brutal eficiência", uma "operação profissional" e um "assalto digno de cinema".

Ao entrar no local, o grupo arrebentou a porta e as janelas da entrada com uma marreta. Em seguida, eles ordenaram que os jogadores do cassino deitassem no chão e tiros foram disparados. A polícia informou que parte dos bandidos destruiu a porta principal, os demais entraram com pistolas e metralhadoras.

Ninguém se feriu ? alguns jogadores e seguranças chegaram a receber chutes e tabefes dos assaltantes, mas sem gravidade. "Parecia um assalto que saiu de um filme de ação", afirmou um dos funcionários do cassino. "Ficamos todos chocados."

Uma das maiores dificuldades para os investigadores suíços é a localização do cassino, que fica a apenas 200 metros da fronteira com a França. Não há mais guardas no posto fronteiriço desde dezembro de 2008, quando a Suíça passou a integrar o Tratado de Schengen, que acabou com o controle de passaportes na fronteira.

"Os ladrões sabiam o que estavam fazendo. Agiram com rapidez, profissionalismo e brutalidade", afirmou Peter Gill, porta-voz do Ministério Público da Basileia.

No início do mês, quadro ladrões, todos jovens entre 19 e 21 anos, invadiram o maior torneio de pôquer da Europa, que estava sendo realizado no hotel Grand Hyatt de Berlim. Eles levaram a quantia de US$ 320 mil. A polícia alemã identificou e capturou um dos bandidos e cinco suspeitos, mas ainda não conseguiu localizar o dinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.