Catar: Assad conduz 'guerra de extermínio' na Síria

O primeiro-ministro do Catar, o xeque Hamad bin Jassim Al Thani, acusou o governo do presidente sírio Bashar Assad de conduzir uma "guerra de extermínio" contra o próprio povo. Al Thani fez as declarações à emissora de televisão Al Jazeera, do Catar. O país do Golfo Pérsico apoia os insurgentes sírios. "O que está acontecendo na Síria não é uma guerra civil, mas é uma guerra de extermínio contra o povo sírio", disse Al Thani.

EQUIPE AE, Agência Estado

30 de outubro de 2012 | 15h21

Segundo ele, o que acontece atualmente na Síria é uma "licença para matar, endossada em primeiro lugar pelo governo sírio e em segundo lugar pela comunidade internacional". Mesmo assim, o premiê do Catar disse que acredita nos esforços do diplomata argelino Lakhdar Brahimi, enviado internacional da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe para a Síria. Após o fracasso da trégua negociada por Brahimi entre Assad e os insurgentes no feriado do Eid al-Adha, quando mais de 500 pessoas foram mortas em quatro dias, Brahimi prepara um novo plano para a Síria, que será apresentado à ONU em novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.