Católicos e protestantes se unem em Belfast

Cerca de 3 mil católicos e protestantes norte-irlandeses marcharam hoje pela ruas do centro de Belfast para protestar contra os últimos assassinatos na província britânica e exigir o fim de grupos violentos de ambos os lados. Em um sinal dos novos tempos políticos, líderes das três maiores igrejas protestantes dividiram um palanque, levantado em frente à prefeitura de Belfast, com o prefeito Alex Maskey, do Sinn Fein, o partido ligado ao católico Exército Republicano Irlandês (IRA). Os presentes respeitaram um minuto de silêncio em memória das últimas vítimas do conflito norte-irlandês: David Caldwell, de 51 anos, um pedreiro protestante morto ontem por uma bomba colocada em uma lancheira, supostamente pelo IRA; e Gerard Lawlor, de 19 anos, um católico morto a tiros em 22 de julho passado por extremistas protestantes. O acordo de paz de 1998, endossado ela maioria da população da Irlanda do Norte, prevê um futuro de compromisso político entre a maioria protestante britânica e a minoria católica irlandesa. Pelos termos do acordo, um governo composto por protestante e católicos colocaria um fim ao conflito iniciado em 1969 e que já matou mais de 3.600 pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.