Caxemira é o pior foco de extremismo no mundo, diz estudo

O território da Caxemira, disputado por Índia e Paquistão, é a região onde ocorrem mais ações extremistas em todo o mundo, mas o Iraque pós-guerra avança rapidamente e pode ocupar o posto ainda neste ano, afirma estudo de uma empresa de classificação de risco. De acordo com a seguradora americana Aon Corp., o Iraque figura no quinto lugar no Mapa de Risco de Terrorismo Global, que consiste em um ranking de nações com base no risco de ações extremistas em seus territórios. No ano passado, o Iraque não figurava nem entre os 40 primeiros lugares.No relatório divulgado nesta terça-feira em Londres, a empresa citou dezenas de fontes públicas para a compilação de uma lista de ações extremistas ao redor do mundo. A Caxemira - dividida entre a Índia e o Paquistão e reivindicada por ambos os países - teve o maior número de ações extremistas no período de doze meses encerrado em fevereiro, seguida pelos territórios palestinos e pela Colômbia.A Aon classifica os países por número de incidentes extremistas registrados - e não pelo número de mortos e feridos - com o objetivo de obter uma imagem mais clara das ameaças aos negócios. A Aon alerta que a guerra dos Estados Unidos contra o terrorismo aumentou a freqüência de atentados pelo Oriente Médio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.