CBS demite apresentador por comentários racistas

A rede americana CBS demitiu nesta quinta-feira, 12, o locutor de rádio Don Imus após uma semana de intensa polêmica pelos insultos dirigidos pelo jornalista às jogadoras de uma equipe feminina de basquete de maioria afro-americana.A decisão da CBS foi tomada um dia depois que o canal de televisão a cabo MSNBC decidiu não transmitir mais o programa radiofônico e que várias grandes empresas anunciaram que retirariam a publicidade do espaço, entre elas American Express, Procter & Gamble e General Motors.Semana passada, durante a transmissão do programa Imus in the Morning, o locutor usou a expressão "nappy-headed ho´s" - algo parecido com "prostitutas de cabelo crespo" -, referindo-se às componentes da equipe da Universidade de Rutgers, de Nova Jersey. A maioria das jogadoras são afro-americanas.As afirmações feitas no programa de rádio - transmitido pela emissora WFAN-AM em Nova York, propriedade da cadeia CBS e emitido simultaneamente pelo MSNBC, desencadeou uma intensa onda de protestos.O locutor pediu perdão em reiteradas ocasiões nos últimos dias pelos termos racistas e sexistas que usou. Vários ativistas da comunidade afro-americana reivindicaram sua demissão, que aconteceu nesta quinta-feira.O presidente e executivo-chefe da CBS, Leslie Moonves, reconheceu que o efeito das palavras de Imus sobre as "jovens de cor que estão buscando um caminho nesta sociedade" pesou na decisão da empresa.Durante a carreira, o locutor chegou a qualificar o ex-secretário de Estado Colin Powell de "doninha ressonante" e chamou o governador do Novo México de "bicha gorda".Além disso, dirigiu em outra ocasião seu sarcasmo a jornalistas afro-americanos como Gwen Ilfill e William Rhoden, ambos do New York Times.A demissão de Imus não representa só a queda de um dos locutores mais importantes e influentes do país. A decisão da CBS é um golpe econômico para a própria empresa, que embolsava cerca de U$ 15 milhões anuais com o programa do radialista, segundo jornais de economia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.