CE prepara ajuda de 3 milhões de euros à Indonésia

A Comissão Européia (CE) prepara uma ajuda de urgência de até 3 milhões de euros para financiar as demandas mais urgentes na ilha indonésia de Java, onde um terremoto provocou neste sábado a morte de pelo menos 2.400 pessoas.O Escritório de Ajuda Humanitária da Comissão (Echo) está em contato com a Federação Internacional da Cruz Vermelha, o Crescente Vermelho e outras entidades presentes no local para saber o resultado da primeira avaliação das necessidades mais urgentes.Tanto em Bruxelas como no Sudeste Asiático, especialistas estão sendo mobilizados para serem enviados à região o mais rápido possível, explicou hoje um comunicado do Executivo do bloco.O comissário europeu de Desenvolvimento e Ajuda Humanitária, Louis Michel, afirmou que a Comissão está preparada "para ajudar as vítimas da tragédia e reconhece que o importante é fazê-lo tão rápido quanto for possível".A Comissão já está preparando uma primeira remessa de ajuda de emergência e aguarda que, nas próximas horas, a Federação divulgue um primeiro pedido de recursos."Nossa intenção é ter fundos disponíveis imediatamente para as atividades de ajuda de emergência", disse Michel. Serão destinados, no máximo, 3 milhões de euros.O Centro de Controle e Informação da direção-geral de Meio Ambiente da Comissão, responsável pela coordenação da reação de defesa civil dos Estados-membros, também começou a trabalhar.No início da manhã, o órgão entrou em contato com a Presidência do Conselho da UE - ocupada pela Áustria neste semestre - e com os Estados-membros por meio do sistema de "pré-alerta", o que representa uma solicitação de instrumentos de busca e resgate. Também pediu uma lista dos ativos disponíveis que possam ser mobilizados rapidamente.O comissário europeu de Meio Ambiente, Stavros Dimas, explicou que o órgão "está preparado para coordenar a busca e o resgate imediatamente depois de ocorrer o trágico evento".Um terremoto de 6,2 graus na escala Richter matou hoje pelo menos 2.459 pessoas e feriu milhares na ilha de Java, a mais povoada do arquipélago indonésio, indicaram fontes das equipes de resgate de Yogyakarta, a principal cidade da região atingida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.