Celular pode ter detonado bomba em universidade de Jerusalém

A polícia israelense acredita que os explosivos colocados na última quarta-feira na cantina da Universidade Hebraica, em Jerusalém, foram detonados por controle remoto, por meio de um telefone celular deixado na mesma sacola. A informação foi dada por um funcionário israelense que não quis se identificar. A bomba estava repleta de pregos e metais, para causar mais danos, e foi deixada numa mesa no centro da cantina. As forças de segurança israelenses prenderam vários funcionários árabes da universidade suspeitos de terem ajudado os extremistas do Hamas.

Agencia Estado,

01 Agosto 2002 | 18h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.