Cem prisioneiros em Guantánamo aderem à greve de fome

A greve de fome entre os presos na Baía de Guantánamo continua crescendo. De acordo com o tenente-coronel, Samuel House, 100 dos 166 prisioneiros na base dos Estados Unidos, em Cuba, aderiram à greve.

Agência Estado

27 de abril de 2013 | 11h05

Segundo House, 19 detentos estão recebendo nutrientes líquidos através de um tubo nasal para evitar perda de peso abaixo do limite mínimo. House disse ainda que cinco deles estão em um hospital, sob observação, mas não correm risco de vida.

Os advogados dos presos dizem que os militares estão subestimando o número de grevistas. Os presos começaram a greve de fome em fevereiro, para protestar contra as condições e o confinamento indefinido. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Samuel HouseCuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.