Cemitérios podem impedir construção de aeroporto

A construção do terceiro aeroporto em Paris (França) pode estar ameaçada. O local escolhido pelo governo é ocupado há mais oitenta anos por cemitérios de pessoas mortas na primeira guerra mundial, ocorrida entre 1914 e 1918. No local, estão milhares de corpos de soldados britânicos, alemães e franceses. A denúncia foi feita hoje pela Comissão de Túmulos de Guerra Commonwealth, uma organização britânica, que pretende levar o assunto ao governo francês. O novo aeroporto ficaria localizado 120 quilômetros ao norte de Paris. De acordo com a comissão, o cemitério britânico tem cerca de 60 covas, o alemão tem 20 mil covas e o francês, 4 mil. Segundo a comissão, o terreno britânico está localizado em terra sagrada e perpetuada pelo governo, a não ser que exista um motivo muito importante de necessidade pública para sua remoção. O novo aeroporto, que pelo projeto deverá ficar pronto em 2020, tem como objetivo reduzir o trânsito de pousos e decolagens nos aeroportos Charles de Gaulle e Orly. O terreno escolhido para a construção é o mesmo vale onde ocorreu, em 1916, a batalha de Somme.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.