EFE
EFE

Cenário: Batalha pelo Poder Eleitoral na Venezuela

Serão substituídas duas titulares e oposição, que tem maioria na Assembleia, quer nomear novos reitores

Felipe Corazza, O Estado de S.Paulo

03 Dezembro 2016 | 05h00

A próxima batalha interna entre chavismo e oposição na Venezuela está se desenhando em torno da nomeação de novos reitores para o Conselho Nacional Eleitoral (CNE), órgão máximo do Poder Eleitoral. Serão substituídas em breve as atuais titulares Tania D’Amelio e Socorro Hernández, ambas acusadas pela coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) de atuarem com parcialidade em favor do Executivo chavista.

Com maioria na Assembleia Nacional, sede do Legislativo, a MUD defende sua prerrogativa constitucional de nomear os novos reitores. Entre os cinco atuais, um deles já é visto como favorável aos opositores, tornando ainda mais relevante a escolha dos próximos dois nomes. A MUD avisou que divulgará os indicados na quarta-feira.

A bancada chavista na Assembleia, no entanto, já pediu ao Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) para indicar os substitutos. O TSJ, também acusado de atuar em favor do chavismo, tem ignorado decisões da Assembleia, alegando que o órgão está “em desacato” por ter dado posse a três deputados cuja eleição está sob suspeita de fraude. Os três já renunciaram aos mandatos, mas o Judiciário mantém a visão de que as decisões do Legislativo atual não têm validade. 

Mais conteúdo sobre:
Venezuela Executivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.