Yaser Al-Khodor/Reuters
Yaser Al-Khodor/Reuters

Cenário: Enquanto crime busca lucro, terrorismo tem objetivos políticos

Se os objetivos são diferentes, as atividades de terroristas e de grupos criminosos muitas vezes se sobrepõem, quando eles usam o crime organizado para financiar suas ações

Cristiano Dias, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2019 | 07h00

Crime organizado e terrorismo são conceitualmente diferentes, embora estejam cada vez mais embaralhados. A principal diferença está na finalidade. O objetivo de uma organização terrorista é de natureza política, ideológica ou religiosa. O dinheiro é importante, mas desempenha um papel indireto – não é um fim, mas um meio que serve a um propósito mais elevado.

A intenção é intimidar a população e obrigar determinado governo a mudar seu comportamento. Já organizações criminosas, como cartéis e gangues, atuam exclusivamente para obter benefícios financeiros ou materiais – a violência e a coerção são apenas uma ferramenta para cumprir a missão. 

Se os objetivos são diferentes, as atividades de terroristas e de grupos criminosos muitas vezes se sobrepõem. O exemplo mais conhecido é quando terroristas usam o crime organizado para financiar suas ações.

Na outra ponta, os cartéis também podem adaptar táticas terroristas para cumprir seus objetivos. Quando isso acontece, organizações criminosas e grupos terroristas formam uma aliança que vai de um relacionamento pontual de curto prazo até uma cooperação direta de longo prazo. 

De acordo com a DEA (agência antidrogas dos EUA), hoje quase a metade dos grupos terroristas tem relações com organizações criminosas. Nos anos 80, sob pressão da polícia italiana, os guerrilheiros das Brigadas Vermelhas buscaram ajuda da Camorra, a máfia napolitana.

Alguns especialistas latino-americanos, como a venezuelana Vanessa Neumann, apontam para uma colaboração cada vez maior entre cartéis mexicanos e terroristas islâmicos. Os túneis cavados entre Israel e Gaza teriam as impressões digitais do cartel de Sinaloa, enquanto as decapitações realizadas pelos narcotraficantes do Jalisco Nova Geração seriam inspiradas no Estado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.