Hasan Shirvani / MIZAN NEWS AGENCY / AFP
Hasan Shirvani / MIZAN NEWS AGENCY / AFP

Cenário: Forças britânicas estão em alerta em Ormuz

Marinha envia para o Golfo o submarino nuclear HMS-Astute S-119 de ataque e coleta de dados de inteligência

Roberto Godoy, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2019 | 05h00

A Marinha britânica está enviando para o Golfo o HMS-Astute S-119, um submarino nuclear de ataque e coleta de dados de inteligência. O navio de 7,4 mil toneladas, 97 metros e 98 tripulantes, é bom de briga: além de mísseis de cruzeiro da família Tomahawk, leva torpedos pesados Spearfish de 533 mm e pode ser configurado para lançar equipes de mergulhadores das forças especiais.

Além disso, o navio é capaz de realizar intensa vigilância eletrônica em um raio de 370 km. Seus sensores de bordo podem captar comunicações digitais, de voz “ou qualquer outro trânsito de informações”, segundo o Ministério da Defesa britânico. A mesma fonte destacou que a missão primária do Astute é “dar proteção às rotas comerciais e às embarcações do Reino Unido”.

No momento, a força naval britânica na área está limitada a uma fragata Tipo 23, a HMS Montrose, de 4,9 mil toneladas, equipada com mísseis antinavio Harpoon. O almirantado divulgou ontem, em Londres, que está deslocando para a região do Estreito de Ormuz unidades maiores, do Tipo 25, com armamento mais poderoso e uma guarnição de fuzileiros para eventuais ações de intervenção rápida.

Os Tomahawk do S-119 são da variante Bloco 4. Podem cobrir distâncias na faixa dos 1.300 a 1.500 km alternando a escolha entre até 15 diferentes alvos predefinidos ou ainda, durante o voo, receber novas coordenadas. A programação também permite que o míssil permaneça em um modo de espera, não muito longo, aguardando o melhor momento de ser lançado contra o objetivo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.