REUTERS/Jim Young
REUTERS/Jim Young

CENÁRIO: Lamento Rubio, mas chegou a hora de deixar a disputa

É o momento de abandonar a disputa – especialmente se a insistência em participar significa um resultado perigoso para o partido e para o país

Jennifer Rubin* / W. POST , O Estado de S. Paulo

11 de março de 2016 | 07h00

Em toda campanha, chega um momento em que os únicos convencidos de que existe uma autêntica chance de vitória são o próprio candidato e seus mais próximos assessores. As pesquisas estão péssimas. As críticas aos outros candidatos não levam a nada. É o momento de abandonar a disputa – especialmente se a insistência em participar significa um resultado perigoso para o partido e para o país. 

Eis o que deveria ser explicado ao senador Marco Rubio: a cada primária, seu número total de votos vem caindo; sua porcentagem agora se resume a alguns pontos onde tinha uma vantagem competitiva (Michigan, por exemplo); o senhor vem sendo derrotado por dois dígitos em seu Estado natal, antes da votação de terça-feira. Amigos da Flórida que defendem sua candidatura não acreditam que o senhor conseguirá vencer.

Continue na disputa e o senhor corre o risco de perder seu Estado, pôr fim à sua careira com uma avaliação terrível e ser acusado de dar a Donald Trump, que todos afirmam ser inadequado para o cargo, a indicação republicana. Neste momento – até terça-feira –, o senhor tem uma força formidável. Pode endossar a candidatura de Ted Cruz, pedindo a seus cerca de 150 delegados para votarem nele, e talvez conseguir o posto de vice-presidente na chapa. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO 

*É COLUNISTA


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.