Cenas de tortura preocupam advogados de Saddam

Os advogados de Saddam Hussein ficaram preocupados com o bem-estar de seu cliente depois de verem a forma como prisioneiros são tratados pelo Exército dos Estados Unidos na penitenciária de Abu Ghraib, em Bagdá, disse um dos representantes do ex-ditador iraquiano. "Estamos profundamente preocupados com o modo que ele vive, como é tratado e tememos por sua segurança", disse Mohammad Rashdan à Associated Press. "Estamos muito preocupados", enfatizou. Fotografias de policiais militares americanos abusando física e psicologicamente de prisioneiros iraquianos causaram indignação ao redor do mundo. O governo americano alega que apenas "um pequeno número de soldados" esteve envolvido e sete militares já foram indiciados por participação nos abusos. Apesar disso, grupos de defesa dos direitos humanos denunciam que a tortura e os abusos disseminaram-se pelos centros de detenção operados pelas forças de ocupação no Iraque. Com base nisso, Rashdan chegou à conclusão de que seu cliente também está em risco. "A tortura é sistemática e os líderes da ocupação sabem disso. Portanto, não se trata apenas de um pequeno bando de soldados, mas sim de algo mais amplo", declarou. De acordo com Rashdan, a esposa de Saddam, Sajida Khairallah Telfah, o escolheu para compor uma equipe de 20 advogados encarregados de defender o deposto líder iraquiano. Autoridades americanas que mantêm Saddam detido dizem que o entregarão a uma corte iraquiana encarregada de julgar o ex-ditador e outros líderes do governo deposto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.