Censura a Israel divide comunidade internacional

Num claro sinal de divisão da comunidade internacional sobre uma possível condenação formal de Israel pelo ataque de domingo contra supostas bases de grupos radicais em território sírio, a União Européia qualificou a ofensiva de "inaceitável", enquanto o presidente americano, George W. Bush, declarou que os israelenses "não podem se sentir restringidos em seu direito à autodefesa".A posição de Washington não deixa dúvidas sobre a disposição dos EUA de usar seu poder de veto para bloquear uma possível resolução do Conselho de Segurança da ONU - convocado em caráter de emergência pela Síria horas depois do ataque - que condene Israel.Segundo diplomatas da Nações Unidas, uma proposta de resolução apresentada pela Síria e pedindo a censura a Israel pela "agressão militar" seria retirada e reescrita em outros termos para que tivesse alguma possibilidade de aprovação. Para ser aprovado, o projeto de resolução deve receber o voto favorável de pelo menos 9 dos 15 membros do conselho e nenhum veto dos 5 membros permanentes - China, EUA, França, Grã-Bretanha e Rússia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.