Centenas de pessoas protestam contra Otan e guerra

Centenas de manifestantes reuniram-senesta quarta-feira no centro de Praga para protestaremcontra a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) econflitos militares, mas o forte esquema de segurança e o temporuim pareciam afastar a possibilidade de manifestações maiores. Militantes do Partido Comunista Checo reuniram-se na Praça daCidade Velha sob um céu nublado para expressar seudescontentamento com a existência da aliança atlântica e areunião de cúpula de dois dias, com início formal previsto paraamanhã. Marta Semelova, uma secretária do partido em Praga, ressaltouque os comunistas sempre foram contra a existência da Otan e aparticipação da República Checa na entidade. O país ingressou naaliança em 1999, ao lado de Hungria e Polônia. "Após o fim do Pacto de Varsóvia, consideramos a Otan umaorganização absolutamente desnecessária", explicou Semelova. Segundo ela, o dinheiro gasto para organizar a reunião decúpula poderia ter sido melhor empregado nos esforços dereconstrução após as devastadoras enchentes que afetaram acapital checa e outras partes do país em agosto último. A polícia estimou em 400 os manifestantes presentes - númerobem inferior ao que as autoridades esperavam. Porém, osmanifestantes planejam outros eventos, inclusive um protestonuma região de Praga onde os líder pretendem jantar. As demonstrações de hoje foram pacíficas e não afastaram osturistas, que continuaram visitando a praça. Havia ainda dezenas de manifestantes esquerdistas pertencentesaos grupos REVO e Iniciativa Contra a Guerra com faixas com osdizeres "Não à guerra em nome da democracia" e "Não joguembombas! Joguem Bush!"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.