CHANDAN KHANNA / AFP
CHANDAN KHANNA / AFP

Centenas de pessoas são resgatadas após enchentes no sul dos EUA

Após atingir o solo do Alabama como um furacão de categoria 2, Sally foi reclassificado como tempestade tropical, mas seguiu provocando enchentes no sul do país; Flórida também é atingida

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2020 | 09h59

Ao menos 377 pessoas foram resgatadas das enchentes provocadas pela passagem do furação Sally pela Costa Leste dos Estados Unidos. Sally tocou o solo do país no Alabama, na quarta-feira, 16, como um furacão de categoria 2, e seguiu em direção ao Atlântico, perdendo força. Mesmo sendo rebaixado à categoria de tempestade, o fenômeno provocou destruição e exigiu atenção das autoridades de segurança.

As enchentes atingiram partes do Alabama e da Flórida, transformando estradas em rios. Carros ficaram submersos e a profundidade da água em algumas áreas urbanas ultrapassou um metro e meio.

Ainda não há previsão de quando as inundações vão diminuir. Na noite de quarta, o centro da tempestade estava sobre o Alabama, mas a chuva forte se estendia até o Oeste da Geórgia e os ventos continuavam fortes. O Centro Nacional de Furacões emitiu um alerta que "inundações catastróficas" com potencial risco à vida dos habitantes poderiam ocorrer na região.

Em Pensacola, na Flórida, e nos arredores, várias barcaças se soltaram e flutuaram sem controle nas águas agitadas, incluindo uma com um guindaste que estava indo em direção à Ponte da Baía de Escambia. O xerife do condado, David Morgan, disse à imprensa local que considerou todas as opções para parar a barcaça quando ela se aproximava da ponte, incluindo usar granadas para tentar afundá-la. A barcaça parou antes de atingir a estrutura.

Com a água alta e as árvores derrubadas, as estradas ficaram intransitáveis. Moradores foram informados de que demoraria horas para que os serviços de emergência fossem enviados. As 377 pessoas que tiveram o resgate confirmado até o momento foram retiradas de áreas inundadas no condado de Escambia, na tarde de quarta.

Segundo as autoridades, um abrigo foi aberto para lidar com a multidão de socorridos. De acordo com especialistas, dois rios do município podem transbordar, o que pode causar novas enchentes.

A tempestade também afetou o serviço de distribuição de energia. De acordo com as companhias distribuição do Alabama e da Flórida, 275 mil e 240 mil clientes, respectivamente, ficaram sem acesso à rede elétrica.

O cenário fez o Serviço Nacional de Meteorologia emitir avisos sobre o uso adequado de geradores, uma vez que pelo menos sete pessoas morreram envenenadas por monóxido de carbono emitido por máquinas do tipo durante o furacão Laura, no mês passado./ THE NEW YORK TIMES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.