AP Photo/David Goldman
AP Photo/David Goldman

Centenas protestam contra violência policial nos EUA na quinta noite de manifestações

Protesto em Atlanta terminou com 16 detidos e foi um dos maiores realizados na semana

O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2016 | 11h31

WASHINGTON - Centenas de pessoas saíram na noite de segunda-feira às ruas das principais cidades dos Estados Unidos pela quinta noite consecutiva para protestar contra as mortes de negros pelas mãos de policiais.

O protesto em Atlanta, na Geórgia, foi um dos maiores da semana e terminou com 16 detidos, segundo fontes policiais ouvidas pelo Atlanta Journal.

Apesar das prisões, os manifestantes não cancelaram a passeata que chegou até o prefeito, Kasim Reed, e o chefe da polícia local, George Turner, para iniciar um diálogo com o objetivo de resolver suas demandas.

A polícia local demitiu nesta terça-feira, 12, um de seus integrantes por ter assassinado em junho um negro que estava desarmado.

A cidade de Chicago, em Illinois, foi palco de outra das principais manifestações do dia em protesto pela morte na semana passada de dois negros em Baton Rouge, Louisiana, e Falcon Heights, em Minnesota.

Os manifestantes participaram das passeatas convocadas pelo movimento "Black Lives Matter" (As Vidas dos Negros Importam), surgido há dois anos após a morte de outro negro em Ferguson, Missouri.

Em Baltimore, Maryland, de maioria afro-americana, houve um tiroteio que deixou cinco feridos - incluindo quatro mulheres - durante uma vigília pela morte de um jovem no fim de semana.

Enquanto isso, o prefeito de Houston, Sylvester Turner, fez um apelo para "manter a paz" na cidade até que se esclareçam as circunstâncias da morte neste fim de semana de um jovem negro que, aparentemente, apontou uma arma aos policiais que realizaram os disparos.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, viajará nesta terça-feira para o local onde um franco-atirador assassinou na sexta-feira cinco policiais brancos em Dallas, no Texas, durante uma manifestação pelas mortes em Baton Rouge e Falcon Heights.

Obama presidirá os funerais dos policiais e fará um discurso durante a cerimônia. Na quarta-feira, terá uma reunião com representantes da sociedade civil e policiais para tratar da onda de violência no país. /EFE

Veja abaixo: Obama defende reforma da polícia americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.