AFP PHOTO / ULISES RUIZ
AFP PHOTO / ULISES RUIZ

Centenas vão às ruas para exigir investigação sobre morte de estudantes no México

Manifestantes realizaram atos na Cidade do México e em Guadalajara, cidade onde viviam os jovens assassinados

O Estado de S.Paulo

25 Abril 2018 | 02h41

CIDADE DO MÉXICO – Centenas de pessoas protestaram nesta terça-feira, 24, na Cidade do México e em Guadalajara, no oeste do país, para exigir investigações sobre o assassinato de três estudantes de cinema.

Nesta terça, após um mês do desaparecimento dos jovens, o Procurador do Estado de Jalisco confirmou a morte de Salomón Aceves Gastélum, 25 anos, Daniel Díaz, 20, e Marco Ávalos, 20. O trio foi sequestrado e torturado antes de morrer. Os corpos, segundo as autoridades, foram dissolvidos em ácido.

“A incerteza sobre o caso permanece a mesma ou ficou até maior”, afirmou Óscar Juárez, líder estudantil da Universidade ITESO, em Guadalajara, cidade onde moravam os jovens assassinados. Segundo ele, as autoridades do país devem providenciar provas das investigações.

Na Cidade do México, cerca de 800 jovens protestaram em frente ao Ministério do Interior, exigindo esclarecimentos sobre as autorias e motivações por trás do crime. “Não somos delinquentes, somos estudantes”, gritava a multidão para o prédio do governo.

+ Autoridades acreditam que 3 estudantes desaparecidos no México foram mortos e dissolvidos em ácido

Mais cedo, o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, prometeu punir os culpados e “combater o crime com eficiência”.

“O atroz homicídio de Javier, Daniel e Marco entristece e indigna a todos os mexicanos”, escreveu Peña Nieto. “O Gabinete de Segurança do @GovMx (Governo do México) seguirá apoiando a @FiscaliaJal (Procuradoria de Jalisco) para que haja justiça e esses fatos aterrorizantes não fiquem impunes”. //AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.