Central operária confirma greve geral na Bolívia sexta-feira

Após o fracasso de uma reunião realizada na quarta-feira entre líderes sindicais e representantes do governo do presidente Evo Morales, a Central Operária Boliviana (COB) manteve a convocação de greve nacional de 24 horas a ser realizada na sexta-feira. A paralisação foi confirmada por Jaime Solares, secretário-executivo da COB, que pediu ao governo socialista que cumpra os compromissos assumidos antes das eleições de dezembro do ano passado. Hugo Moldiz, representante do Estado-Maior do Povo (EMP), que apóia o governo de Morales, disse aos jornalistas que o protesto tinha sido suspenso porque os dois lados teriam identificado "pontos em comum na luta para mudar o país". Solares, no entanto, reafirmou que a greve está mantida para sexta-feira. O objetivo da paralisação, segundo ele, é exigir "ações revolucionárias" por parte do presidente Morales. Também disse que os representantes do governo garantiram que a manifestação convocada para a sexta-feira, durante a jornada de greve, será respeitada pelos organismos de segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.