Centro-direita deve continuar no poder na Alemanha

Uma vitória dos principais partidos de oposição na Alemanha parece difícil a menos de quatro semanas das eleições de setembro, o que coloca a coalizão de centro-direita da chanceler alemã, Angela Merkel, nos trilhos para conquistar mais um mandato, segundo a mais recente pesquisa de opinião divulgada nesta quarta-feira.

Agência Estado

28 de agosto de 2013 | 13h45

O apoio para o Partido Verde, de oposição, caiu dois pontos porcentuais, para 11% - o menos nível este ano, segundo pesquisa do instituto Forsa para a revista Stern e a rede de televisão RTL. Já o apoio ao principal adversário de Merkel, o social-democrata Peer Steinbrück, permaneceu no nível mínimo de 22%, enquanto o apoio ao partido A Esquerda subiu dois pontos porcentuais, para 10%.

O levantamento apontou que a coalizão de Merkel tem 41% de apoio entre os eleitores, nível inalterado em relação à pesquisa da semana passada, enquanto o apoio para o Partido Liberal Democrata (FDP), favorável ao governo, caiu um ponto porcentual, para 5%. Com esses números, a coalizão conquistaria cadeiras suficientes no Parlamento para formar o próximo governo.

No entanto, os eleitores parecem preferir que os maiores partidos da Alemanha formem uma "grande coalizão", com 35% preferindo uma aliança entre os partidos conservadores de Merkel e o Partido Social Democrata (SDP) de Steinbrück. Somente 20% dos eleitores preferem que a atual coalizão permaneça no governo como está atualmente.

Enquanto isso, Merkel continua sendo mais popular que seu adversário, com 56% de apoio ante 21% para Steinbrück.

Já o recente debate sobre um terceiro pacote de resgate à Grécia ajudou o partido anti-euro do país, o Alternativa para a Alemanha (AfD), a aumentar seu apoio para 3%, de 2% na semana passada, aproximando-se do limite mínimo de 5% para garantir representação no Parlamento. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Alemanhaeleiçõespesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.