Cerca de 20 mil protestam no Vietnã contra a China

Manifestantes incendiaram e saquearam na noite de terça-feira cerca de 10 fábricas durante protestos contra a China no sul do Vietnã, segundo um funcionário de um parque industrial. Esse é o mais sério episódio de desordem pública em anos no Vietnã, que é rigidamente controlado.

AE, Agência Estado

14 Maio 2014 | 00h24

Os protestos mostram o perigo que as autoridades vietnamitas enfrentam enquanto tentam lidar com o envio de uma sonda de perfuração de petróleo da China a águas que Hanói considera como suas em primeiro de maio.

Os manifestantes atacaram fábricas que acreditaram ser de chineses, mas muitas delas eram controladas por taiwaneses, informou a fonte, que não quis ter o nome publicado. Segundo um diplomata estrangeiro, cerca de 20 mil pessoas estiveram envolvidas no auge do protesto.

A China enviou uma sonda para explorar petróleo próxima às ilhas Paracel em primeiro de maio. Desde então, embarcações do Vietnã e da China tem entrado em conflito na região.

O governo do Vietnã concedeu uma rara permissão durante o fim de semana para os protestos de rua conta a China em diversas cidades, mas muitos dos líderes do movimento contra a China também pediram por reformas democráticas, apresentando um desafio para o governo que funciona com apenas um partido. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Vietnãchinaprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.