Cerca de 2.300 pessoas são deslocadas na Bulgária por nuvem de gás tóxico

5 toneladas de estireno vazaram de um caminhão na cidade de Debelets

Efe

11 de julho de 2011 | 10h33

SÓFIA - Pelo menos 2.300 pessoas foram deslocadas nesta segunda-feira, 11, na localidade búlgara de Debelets devido à nuvem de gás tóxico formada após um caminhão registrar um vazamento de 5 toneladas de estireno nesta madrugada.

 

Fontes da Defesa Civil informaram à Agência Efe que o acidente aconteceu quando um caminhão que transportava 20 toneladas desse produto químico invadiu a calçada e tombou nos arredores dessa localidade de 4.325 habitantes, situada a 320 quilômetros de Sófia.

 

As fontes indicaram que a nuvem já começou a se dissipar e que a qualidade do ar está voltando à normalidade e, por isso, não há riscos para a saúde. Em todo caso, e como medida de precaução, ainda não foi permitido aos moradores desalojados que retornem a suas casas.

 

As equipes de emergência seguem despejando água e catalisadores químicos no local do acidente para evitar que a contaminação se estenda e que um incêndio seja provocado, devido às altas temperaturas, de até 35 graus centígrados, que são esperadas nesta segunda-feira na região.

 

As primeiras informações apontam que o acidente pode estar relacionado a uma falha do motorista do caminhão.

 

O estireno é um líquido utilizado na fabricação de produtos plásticos e que em contato com o ar, emite gás tóxico que provoca irritação nos olhos e no sistema respiratório e digestivo.

Tudo o que sabemos sobre:
Bulgáriagás tóxicodeslocados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.