Cerca de 30 mil se reúnem por empregos na Suíça

Cerca de 30 mil pessoas se reuniram em uma rara demonstração de força na capital da Suíça, Berna, neste sábado, para defender empregos ameaçados pela crise financeira global. Os manifestantes, cujo número total foi confirmado tanto pelos organizadores quanto pela polícia, vieram de todo o país em resposta a um chamado da Federação Suíça dos Sindicatos, a USS.

AE, Agencia Estado

19 de setembro de 2009 | 17h12

"Nós temos muitos bônus e administradores com salários excessivos", disse Paul Rechtsteiner, diretor da USS, de acordo com a agência de notícias ATS. "Nós queremos uma abordagem política de curto prazo real, que estimule o crescimento", afirmou Ewald Ackerman, outro representante da USS, acrescentando que as medidas tomadas pelo governo são "muito insuficientes". "Estamos nos aproximando da taxa de 4% de desemprego", disse Ackerman, observando que o número é alto para a Suíça.

A economia suíça teve 0,3% de contração no segundo trimestre deste ano, em relação aos três meses anteriores, depois de ter encolhido 0,8% no primeiro trimestre. O banco central do país está projetando uma contração de até 3% durante todo o ano de 2009.

Também hoje, 400 produtores de leite da Suíça suspenderam as entregas em protesto contra os preços baixos que estão prejudicando seus negócios, segundo a associação Big-M, ecoando manifestações similares na França e na Alemanha. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Suíçasindicatosempregos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.