Cerca de 600 prisioneiros são libertados de prisões do Iraque

Um total de 594 prisioneiros iraquianos foram postos em liberdade nesta quarta-feira no Iraque depois que as autoridades revisaram seus casos e não encontraram provas de seu envolvimento em ações terroristas e criminosas.Os prisioneiros fazem parte de um grupo de 2.500 pessoas que seriam postas em liberdade nos próximos dias, como anunciado nesta terça-feira pelo primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki.Para o ministério de Direitos Humanos do Iraque, a decisão de Al-Maliki é um passo que pode ajudar na criação de uma atmosfera positiva no Iraque.Al-Maliki expressou na terça-feira que a libertação destas pessoas representa um grande passo rumo à reconciliação nacional e faz parte da agenda estabelecida pelo governo.O primeiro-ministro pediu aos iraquianos que apóiem este "passo rumo à reconciliação", e mostrou sua esperança de que os detidos não se oponham à política do governo após recuperarem a liberdade.Esta medida ocorre antes da conferência de reconciliação nacional que será realizada no final deste mês em Bagdá, com a participação de representantes das comunidades sunita, xiita e curda, e sob o SeqüestroSegundo a polícia iraquiana, 15 das 50 pessoas seqüestradas na segunda-feira no centro de Bagdá foram soltas nesta quarta-feira. Algumas apresentavam sinais de tortura, mas a polícia não deu outras informações sobre as identidades das vítimas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.