Cerca de mil trabalhadores ficam presos em mina na África do Sul

Mineiros não conseguiram sair do local após corte de energia causado por tempestades; segundo a empresa mineradora, eles estão recebendo água e comida

O Estado de S.Paulo

01 Fevereiro 2018 | 13h00

ÁFRICA DO SUL - Cerca de 1.000 homens estão presos em uma mina de ouro no centro da África do Sul desde a noite da quarta-feira 31 após um corte de energia provocado por tempestades. Segundo a empresa Sibanye-Stillwater, os mineiros não estão em perigo e recebem comida e água.

+ Mais de 2,5 mil mineiros chilenos fazem greve a 3,3 mil metros de altitude

Parte da energia no local foi restabelecida, mas ainda não há força suficiente para o trabalho de resgate dos trabalhadores. "Conseguimos um gerador e estamos tentando conectá-lo a empilhadeiras para trazer as pessoas à superfície, mas enfrentamos dificuldades que podem estar relacionadas com a sobrecarga resultante das tempestades", afirmou James Wellsted, porta-voz da companhia sul-africana.

+ Explosão em mina no Irã deixa mais de 50 mineiros soterrados

A mina, conhecida como Beatrix, fica a 240 quilômetros a sudoeste de Johannesburgo. A Associação de Mineiros e União da Construção (AMCU, na sigla em inglês) divulgou a notícia nesta quinta-feira, 1.º de fevereiro, e disse estar "extremamente preocupada" com os mineiros. O governo sul-africano afirmou que enviou inspetores do Departamento de Mineração para o local e todos os trabalhadores foram localizados. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.