Cerco à imprensa venezuelana deve piorar, diz entidade

A repressão aos meios de comunicação na Venezuela tende a aumentar com a aproximação das eleições legislativas, marcadas para setembro. A advertência foi feita pela relatora especial sobre liberdade de expressão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), Catalina Botero, durante uma audiência ontem no Congresso americano. Para Catalina, a Venezuela está "correndo muito rápido em direção a um limite intolerável".

AE, Agência Estado

17 de junho de 2010 | 09h51

"Eu espero que a repressão não cresça. Mas vejo o aumento das ameaças. As coisas tendem a ficar pior", afirmou. "Mas ainda é possível parar esse processo", disse Catalina, ao ser questionada por legisladores americanos.

A visão da CIDH sobre o tema foi reiterada pelo empresário Marcel Granier, presidente da RCTV, rede de televisão que perdeu o direito de transmissão, em 2006, por decisão do presidente Hugo Chávez. Granier disse que os sinais de uma repressão mais forte já estão sendo sentidos. "A situação vai piorar até as eleições", afirmou. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.