Cerimônia é cheia de simbolismo

No dia de sua posse, o presidente William Harry Harrison discursou por duas horas sob um frio cortante, no mais longo discurso de posse da história. Um mês depois, ele morreu de pneumonia, em 1841, encerrando a presidência mais breve dos Estados Unidos. Ronald Reagan não quis arriscar - com um frio de -14° C e sensação térmica de -30° C, ele resolveu transferir a cerimônia de posse para o interior do Senado e falou por apenas 20 minutos.Enquanto isso, milhares de pessoas que tinham conseguido as disputadas entradas para o evento ficaram a ver navios. Essas são algumas das curiosidades narradas por Jim Bendat em seu livro sobre a história das posses dos presidentes americanos, Democracy''s Big Day, The Inauguration of our President 1789-2009 ("O grande dia da democracia, a posse do nosso presidente de 1789 a 2009", em tradução livre).Bendat examinou a fundo as 55 cerimônias de posse que o país já realizou (incluído a de reeleitos) e não tem dúvidas: "Não consigo pensar em outra posse que tenha sido cercada de tantas expectativas", disse ao Estado Bendat, referindo-se à posse de Barack Obama, que se realiza hoje. "O país vai parar."Obama, como vários outros presidentes, estará cercado de símbolos históricos. "É uma tentativa dos presidentes de mostrar que a posse é para todos e também que há uma continuidade", diz Bendat.Este ano é o do 200º aniversário de Abraham Lincoln, presidente que libertou os escravos nos EUA. Obama se cercou de referências a Lincoln, de quem é grande admirador.Para fazer o juramento, ele usará a Bíblia que Lincoln usou em sua cerimônia de posse - é a primeira vez que essa Bíblia será usada desde 1861. Theodore Roosevelt foi mais longe: ele carregou um cacho do cabelo de Lincoln durante a cerimônia de juramento.Quatro presidentes usaram a Bíblia de George Washington, entre eles George H. W. Bush em 1989. George W. Bush tentou, mas não conseguiu. Ele quis usar a Bíblia de Washington em sua primeira posse, mas estava chovendo muito e era proibido usar guarda-chuva na área da cerimônia. Os "conservadores" da Bíblia vetaram e Bush teve de recorrer à Bíblia da família.Espera-se cordialidade do presidente que está de partida - Bush, até agora, tem sido bastante gentil com Obama, embora não tenha deixado a futura primeira-família ficar na Blair House quando chegou a Washington. Ele alegou falta de espaço - na época, o ex-primeiro-ministro da Austrália John Howard estava ocupando um dos 119 quartos.Poderia ter sido pior. Inconformado com sua derrota, John Adams, em 1801, nem sequer apareceu na posse de seu sucessor. Quando Roosevelt e Herbert Hoover desceram a Avenida Pensilvânia de carro, Roosevelt ficou tentando puxar papo, mas foi solenemente ignorado por Hoover, que ficou olhando para frente, mudo.PROIBIÇÃOOs espectadores são proibidos de levar faixas ou placas, para evitar protestos. Mas na posse de Bush, em 2001, dois manifestantes foram criativos. Eles ficaram pelados e tinham escrito no corpo - "Sem mandato, sem democracia", "Ladrão" e "Ricky Martin, como você pôde? (o cantor se apresentou em um evento da posse)".Enquanto os dois andavam pelados no corredor, integrantes do Partido Republicano gritavam: "Espero que vocês peguem pneumonia e morram congelados!" Essa foi a primeira vez na história que a cerimônia de juramento foi interrompida.O juramento que Obama vai recitar hoje são as 35 palavras do Artigo II, Seção 1 da Constituição americana: "Eu solenemente juro que vou fielmente conduzir a presidência dos Estados Unidos e vou, da melhor forma possível, proteger e defender a Constituição dos EUA." Além disso, tornou-se tradição, desde que George Washington improvisou em 1789, acrescentar ao final: "Eu juro, então que Deus me ajude." A primeira-dama fica segurando a Bíblia.O verborrágico Joe Biden não fará discurso nenhum na cerimônia de posse. A culpa é de Andrew Johnson, que apareceu completamente bêbado quando foi eleito vice-presidente na chapa de Abraham Lincoln. Johnson começou a fazer seu discurso com a voz pastosa e quase desmaiou. A partir desse incidente, os vice-presidentes passaram a se manter mudos na posse - fazem o juramento e só.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.