Cerimônia para Arafat terá 25 minutos e segurança máxima

O governo do Egito prepara-se para uma cerimônia militar de adeus a Yasser Arafat sob segurança estrita, onde dignitários de todo o mundo oferecerão seus respeitos, mas onde povo ficará trancado do lado de fora. A cerimônia, de 25 minutos, num clube de militares ao norte do Cairo, perto do aeroporto, reflete a preocupação com a segurança em um evento que atrairá dezenas de estadistas e ministros. Mas analistas dizem que o governo egípcio também pretende evitar uma explosão de comoção popular que poderá escapar ao controle das autoridades e mostrar que os povos árabes amam mais Arafat que os governantes de seus países.O caixão de Arafat chegou ao aeroporto do Cairo às 19h00 (horário de Brasília). Há uma operação de segurança máxima montada ao redor do aeroporto. O caixão será levado ao Galaa Club, um complexo que inclui hospital, mesquita e área social para oficiais militares. O esquife com o corpo passará a noite no hospital e será levado à mesquita na manhã de sexta-feira.A cerimônia militar está marcada para ter início às 11h00 da manhã na hora local (7h00, horário de Brasília), disse o porta-voz egípcio Maged Fattah. Depois, o caixão será levado para a base de Almaza, atrás do clube, e levado de avião para Ramallah, na Cisjordânia. O trecho entre o clube e a base provavelmente será a única oportunidade do povo ver o esquife de Arafat no Egito. Em Ramallah, o enterro deverá ocorrer antes do pôr-do-sol. Especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.