Cerveja barata, algo que não podia durar na Noruega

Os noruegueses, acostumados com alguns dos preços mais altos da Europa para bebidas alcoólicas, deliciaram-se, nas últimas semanas, ao encontrar algo impensável à venda: cerveja barata. Mas, lá no fundo, provavelmente sabiam que uma guerra da cerveja, barateando preços, não podia durar.Hoje, o estatal Diretório para a Saúde e Assuntos Sociais declarou os preços baixos ilegais e exigiu níveis mais de acordo com a lei.?O avanço da guerra dos preços viola a lei do álcool?, disse o chefe da agência, Bjoern-Inge Larsen. ?Consequentemente, requeremos aos atacadistas para agirem com sobriedade e fazer com que o comércio respeite essa lei.?A Noruega taxa pesadamente todas as bebidas alcoólicas e regula severamente as vendas para desencorajar o consumo por razões de saúde. Vinho e licores só podem ser comprados do monopólio estatal.As lojas, entretanto, podem vender cerveja e estavam envolvidas no que se acredita ser a primeira guerra de preços já vista no país, no momento em que suportam a competição da gigantesca cadeia de descontos alemã Lidl.O preço de uma garrafa pequena de cerveja caiu de 9 coroas (US$ 1,34) para 6,50 coroas (US$ 0,94), nas lojas mais baratas, na semana passada, menos que o custo de 6,6 coroas (US$ 0,95) do imposto por garrafa. O diretório declara que oferecer descontos ou vender bebida alcóolica abaixo do custo é ilegal.Os varejistas não sabem o que fazer, uma vez que o diretório não diz qual é o preço aceitável.?Nós estamos com problemas para entender a resposta deles (o diretório)?, diz Thomas Angell, da Federação Norueguesa do Comércio e Serviços. ?Eles deveriam ter estabelecido um preço mínimo.?Ele prevê que alguns comerciantes ao mínimo acima do imposto até que o diretório defina quão barato o ?barato? poderá ser.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.