Pixabay
Pixabay

Cerveja Corona paralisa produção no México devido ao novo coronavírus

Medida começará a valer a partir do próximo domingo, 5; decisão está relacionada a determinação governamental, que suspendeu atividades não essenciais até 30 de abril

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2020 | 05h33

Fabricante da cerveja pilsen Corona Extra, uma das marcas mais valiosas da América Latina, o Grupo Modelo anunciou na noite de quinta-feira, 2, que vai parar a produção e a comercialização da bebida no México a partir do próximo domingo, 5.

Recentemente, a marca Corona, que significa “coroa” em espanhol, passou por um problema de marketing por ser associada ao novo coronavírus em buscas na internet. O vírus leva esse nome por lembrar uma coroa quando visto em microscópio.

A decisão de suspender atividades, no entanto, está relacionada a uma determinação governamental. A cervejaria Modelo afirmou que acatou restrições decretadas pelo governo mexicano e seguiu estritamente as medidas de higiene e segurança, como forma de enfrentar a pandemia da covid-19.

“Estamos diminuindo a produção nas nossas plantas ao mínimo necessário para não ter efeitos irreversíveis para a continuação no futuro”, explicou a cervejaria, em comunicado oficial.

Na última terça-feira, dia 31, o governo de Andrés Manuel López Obrador estabeleceu medidas sanitárias extraordinárias por causa do novo coronavírus. O ministro da Saúde, Jorge Alcocer Varela, determinou a suspensão até 30 de abril das atividades não essenciais para mitigar a dispersão e a transmissão do novo coronavírus e diminuir o contágio e a morte por covid-19 em todo o território mexicano.

A agroindústria está entre as atividades consideradas essenciais, mas o grupo cervejeiro quer uma confirmação do governo para manter a fabricação, já que o texto libera apenas a produção de “bebidas não alcóolicas”.

“Caso o governo federal considere oportuno emitir um esclarecimento confirmando a cerveja como produto agroindustrial, estamos prontos a executar um plano com 75% de nosso pessoal trabalhando de casa e ao mesmo tempo garantir o suprimento de cerveja”, afirmou a empresa.

Segundo o Grupo Modelo, a cerveja é um dos componentes mais importantes do setor agroindustrial e seu principal produto de exportação no México. A empresa tem 11 fábricas pelo país e afirma que o cultivo de cevada envolve 15 mil famílias em 150 mil hectares por ano e que a cadeia de valor envolve 800 mil revendedores, cujas vendas de cerveja representam 40% da receita.

Além da Corona Extra, o Grupo Modelo produz uma série de cervejas populares no mercado nacional mexicano, como a Modelo Especial, Negra Modelo, Victória e Pacífico.

Perdas

Maior cervejaria mexicana, a empresa pertence ao grupo belga-brasileiro AB-InBev, líder mundial no setor. A Corona Extra começou a ser importada e vendida no Brasil como uma cerveja premium em 2014, pela Ambev.

Em 24 de março, a AB-Inbev afirmou que o impacto da covid-19 a fez deixar de lucrar U$ 170 milhões (R$ 894 milhões) na China, por causa redução na demanda. A perda de receitas foi estimada em U$ 285 milhões (R$ 1,5 bilhão) com vendas frustradas, apenas nos dois primeiros meses de 2020.

A magnitude da pandemia pode impactar mais as operações mais no primeiro trimestre, com projeção de uma queda de 10% nos lucros e circunstâncias especialmente desafiadoras no Brasil.

Ainda de acordo com estimativas, a companhia projeta lucros entre 2% e 5% em 2020, com crescimento no segundo semestre do ano. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.