Cessar-fogo mantido na fronteira entre Índia e Paquistão

Moradores dos dois lados da fronteira entre a Índia e o Paquistão na região da Caxemira comemoraram o primeiro dia de cessar-fogo entre os dois Exércitos, no primeiro acordo do gênero em 14 anos de violência. Não houve disparos de artilharia desde a meia-noite de terça-feira. No entanto, a polícia indiana e os militantes islâmicos da região não participam da trégua, gerando incerteza sobre sua duração. Hoje, a guerrilha separatista islâmica invadiu o lado indiano do território e quatro militantes foram mortos. O início do cessar-fogo coincide com o feriado islâmico de Eid-al-Fitr, que encerra o Ramadã, mês sagrado de jejum para os muçulmanos. Nem mesmo fogos de artifício foram disparados para a celebração do feriado, constatou o tenente coronel indiano Mukhtiar Singh.Nos feriados de Eid al-Fitr comemorados nos últimos anos, "as pessoas tinham medo até mesmo de visitar parentes e amigos ou de sair para rezar, porque os tiros e bombardeios não cessavam", comentou o jornalista Karamat Qayoom, na cidade fronteiriça de Baramulla."É um grande presente dado por Índia e Paquistão nesse feriado", celebrou Asan Ullah Lone, dono de um hotel em Baramulla, 55 quilômetros ao norte de Srinagar, capital de verão do Estado indiano de Jammu-Caxemira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.