Cessar-fogo pode ser obtido até o fim de semana em Angola

O governo angolano e o grupo rebelde Unita estão fazendo progressos nas negociações para conseguir o cessar-fogo e um acordo poderia ser obtido até o final desta semana, disse nesta segunda-feira um alto funcionário do governo.As negociações, que começaram na semana passada, atingiram um estágio importante desde que altos funcionários da Unita, incluindo comandantes militares e líderes políticos, passaram a tomar parte das reuniões realizadas numa cidade do leste de Angola, afirmou o funcionário sob a condição de anonimato.As mortes do líder rebelde Jonas Savimbi e do vice-presidente do grupo, Antonio Dembo, ocorridas nas últimas quatro semanas, aumentaram as esperanças de que a guerra civil, que já dura duas décadas, possa terminar em breve.As negociações incluem Paulo Lukamba Gato, secretário-geral da Unita e um radical que no passado foi contrário ao diálogo com o governo; além do general da Unita Samuel Chiwale, que havia acompanhado Savimbi desde os anos 60, quando ambos receberam treinamento de guerrilha na China. Também fazem parte das conversações o general Geraldo Abreu Kamorteiro, comandante das forças armadas da Unita, e o chefe de relações exteriores do grupo, Alcides Sakala.Esses rebeldes fazem parte de um comitê interino da Unita, que assumiu o controle do grupo, de acordo com o funcionário. Nos últimos dias houve combates esporádicos em áreas remotas, mas houve um declínio geral dos confrontos entre os rebeldes e os militares, desde que o Exército suspendeu as ofensivas militares no dia 13 de março, de acordo com o governo e as agências humanitárias.Os rebeldes têm encontrado dificuldades em contactar suas unidades espalhadas pelo país, contou o general Chiwale à Rádio Nacional de Angola.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.