Chade envia tropas a Darfur para capturar rebeldes fugitivos

Tropas do Chade entraram na violenta região sudanesa de Darfur e enfrentaram rebeldes chadianos nesta sexta-feira, enquanto as nações Unidas e grupos de ajuda humanitária, temendo um combate iminente, se preparavam para realocar trabalhadores para cidades fronteiriças do Sudão.O Exército e a polícia sudanesas barricaram a cidade de El Geneina, próximo à fronteira, para prevenir qualquer ataque das tropas do Chade. Havia ainda o temor de uma divisão da milícia Janjaweed, aliada do governo, estar na cidade como reforço para um possível confronto, informou um oficial da ONU. Os militares do Chade combateram seus conterrâneos rebeldes na área de Tendolte, ao sul de El Geneina, disse um trabalhador de uma organização internacional. Tanto este profissional como o oficial da ONU falaram sob condição de anonimato pois não estavam autorizados a falar com a imprensa.O Chade confirmou que enviou tropas ao Sudão para capturar rebeldes que fugiram do combate com os militares ainda nesta semana. "Forças governamentais usaram seu direito de perseguí-los para cruzar a fronteira com o Sudão", informou o governo chadiano em um comunicado. O ministro da comunicação do Chade, Hourmadji Moussa Doumgor, se encontrou com o embaixador do Sudão nesta sexta-feira e pediu para que Cartum entregue os rebeldes. "O Chade não declarou guerra ao Sudão e não tem intenção de fazer isso." A batalha reflete a complicada natureza da crise em Darfur, que ameaça se espalhar para outros países da região. Nos últimos três anos, tropas do governo sudanês vêm lutando contra rebeldes de Darfur. Cartum é acusado de apoiar a milícia árabe Janjaweed para ajudar a pôr um fim à rebelião.Os Janjaweed são acusados de cometer atrocidades contra civis de Darfur. O governo sudanês nega apoiá-los. Mais de 200 mil pessoas morreram e 2,5 milhões fugiram de seus lares desde o início do conflito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.