Chanceler alemã propõe mecanismo de resolução de crises em países devedores

A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu uma reforma no Tratado de Lisboa, para criar um mecanismo de resolução de crises em países devedores da União Europeia. A chefe de governo pediu também a suspensão do direito de voto àqueles que não cumprem as diretrizes da disciplina fiscal do bloco. As questões seriam discutidas ontem, durante a cúpula europeia em Bruxelas.

, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2010 | 00h00

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, posicionou-se de forma positiva quanto aos mecanismos de resolução de crises, mas definiu a possibilidade de suprimir o direito de voto como "inaceitável". As propostas de Merkel foram apresentadas há dez dias, juntamente com o presidente francês, Nicolas Sarkozy.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.