Chanceler argentino visitará Israel após incidente

O chanceler da Argentina, Hector Timerman, confirmou hoje que realizará uma visita oficial a Israel, apenas um dia após negar o conteúdo de uma reportagem que o vinculou a um suposto pacto para desligar o Irã das investigações dos atentados terroristas contra a comunidade judaica em 1994, algo que causou mal-estar nas autoridades israelenses.

AE, Agência Estado

31 Março 2011 | 20h45

O chefe da diplomacia argentina visitará Israel em 4 e 5 de abril, informou a chancelaria, em comunicado. Timerman visitará Israel acompanhado de parentes das vítimas do atentado contra a AMIA, entidade de assistência judaica em Buenos Aires, em 1994.

No último sábado, o diário Perfil publicou uma matéria sobre o suposto interesse da Argentina em tirar o Irã das investigações dos atentados, obtendo em troca a melhora das relações econômicas com Teerã. Segundo o Perfil, o próprio Timerman teria feito a oferta ao Irã, através de um funcionário do governo sírio. A Justiça e o governo da Argentina sustentam que o Irã planejou os atentados e que o grupo xiita libanês Hezbollah, apoiado pelo Irã, desfechou o ataque. O governo do Irã nega.

Em 1992, um atentado a bomba contra a Embaixada de Israel em Buenos Aires matou 29 pessoas. Dois anos depois, uma caminhonete com explosivos foi detonada em frente ao prédio da Associação Mutual Israelita Argentina (AMIA), matando 85 pessoas. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Argentina Israel visita

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.