Chanceler austríaco critica Merkel por austeridade

O chanceler da Áustria, Werner Faymann, criticou as rígidas medidas de austeridade defendidas pela chanceler da Alemanha, Angela Merkel, segundo reportagem da revista Focus. Em entrevista, Faymann disse à publicação que o governo alemão precisava ser "mais determinado" no fornecimento de recursos para uma política econômica comum na União Europeia. "Espero que Angela Merkel dê o próximo passo em direção a uma união mais profunda", afirmou.

EQUIPE AE, Agência Estado

30 Junho 2013 | 16h17

O chanceler acrescentou que isso inclui contribuir para os programas econômicos por meio de um fundo destinado a investir na prevenção de problemas, em vez de apenas combatê-los quando eles ocorrem. "Se Alemanha, Áustria, Holanda e Finlândia apenas relaxarem em suas próprias taxas de juros já baixas para títulos do governo, isso significaria que a política europeia comum para estimular a economia já chegou ao fim", destacou.

Faymann defendeu um fundo para investir em educação, treinamento, pesquisa e infraestrutura para combater o alto nível de desemprego entre os jovens na Europa, acrescentando que esse é um dos maiores perigos sociais na UE. "Se isso continuar, muitos jovens nunca terão a chance de provar seu valor no local de trabalho. Como eles podem acreditar no projeto de paz europeia, se tiramos qualquer esperança de um futuro?" assinalou o chanceler à Focus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.