REUTERS/Lisi Niesner
REUTERS/Lisi Niesner

Chanceler austríaco renuncia ao cargo após abertura de investigação sobre corrupção

Sebastian Kurz entrou na mira do Ministério Público da Áustria após investigação indicar relação entre publicações favoráveis ao chanceler, entre 2016 e 2018, e espaços publicitários pagos pelo Ministério da Fazenda

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2021 | 15h47

O chanceler austríaco Sebastian Kurz renunciou ao cargo na noite (tarde no Brasil) deste sábado, 9,  em meio à crescente pressão sobre seu suposto envolvimento em um escândalo de corrupção.

Em comunicado transmitido pela televisão, Kurz disse que "seria irresponsável" deixar o país passar por meses de "caos ou bloqueio" por essas alegações, que chamou de "falsas", e que queria garantir que a Áustria tivesse "estabilidade "

"Quero ceder para evitar o caos", disse Kurz, que, segundo ele, propôs como sucessor seu ministro das Relações Exteriores, Alexander Schallenberg.

De acordo com o Ministério Público austríaco, entre 2016 e 2018 foram publicados artigos elogiosos e pesquisas favoráveis a Kurz em troca da compra de um espaço publicitário pelo Ministério da Fazenda, então nas mãos dos conservadores.

Na quarta-feira, 6, o Ministério Público anunciou que Kurz e outros nove suspeitos, além de três organizações, estavam sendo investigados por diversos crimes relacionados ao caso, após uma série de buscas, realizadas principalmente na sede do partido conservador OVP.

Na quinta-feira, 7, Os Verdes austríacos, parceiro minoritário da OVP no governo, questionaram a capacidade de Kurz de continuar sua ação como chanceler./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.