AFP
AFP

Chanceler britânico diz que enfrentará mundo com ‘humildade’ na era ‘pós-Brexit’

Ministro ressaltou que seu país manterá atitude ‘aberta’ e indicou sua intenção de promover uma política externa ‘global’, na qual o Estado britânico será ‘uma força para o bem’

O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2016 | 09h33

LONDRES - O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou nesta sexta-feira, 2, que seu país deve enfrentar o mundo com "humildade" na era "pós-Brexit", algo que, no entanto, não o impedirá de "ter um papel como protagonista no cenário mundial".

Johnson pronunciou um discurso no respeitado centro de estudos Chatham House, em Londres, no qual expôs suas prioridades políticas após o voto pela saída da União Europeia (UE), processo conhecido como Brexit.

O ministro ressaltou que seu país manterá uma atitude "aberta" e indicou sua intenção de promover uma política externa "global", na qual o Estado britânico será "uma força para o bem".

Sob "estritas instruções" do governo, liderado pela primeira-ministra Theresa May, Johnson evitou dar detalhes sobre o enfoque que será tomado nas negociações com Bruxelas sobre o Brexit, que devem começar no fim de março do ano que vem.

O chefe do Foreign Office insistiu que o voto para deixar a UE no referendo de 23 de junho não significa que os britânicos sejam "racistas ou xenófobos", mas foi um voto "pela democracia" e "pelo controle das instituições".

Johnson negou que, no âmbito privado, fosse partidário da imigração, que defendeu em seu cargo anterior como prefeito de Londres, enquanto deve apoiar publicamente a linha oficial da necessidade de restringir o movimento de pessoas.

O ministro garantiu que, à frente das Relações Exteriores do Reino Unido, ampliará as relações com a China e seguirá sendo um agente importante na resolução dos conflitos no Oriente Médio. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.