AFP
AFP

Chanceler búlgaro confirma que explosão foi causada por bomba

Nikolai Mladenov disse ao homólogo em Israel, Avigdor Lieberman, que aparato foi colocado no ônibus antes

estadão.com.br,

18 de julho de 2012 | 16h35

SÓFIA - O ministro búlgaro de Relações Exteriores, Nikolai Mladenov, disse nesta quarta-feira, 18, que a explosão que atingiu um ônibus com turistas israelenses na cidade de Burgas foi causada por uma bomba posicionada no veículo. O ônibus transportava turistas israelenses que tinham desembarcado havia pouco tempo na cidade, em um voo vindo de Tel Aviv.

 

Veja também:

linkNetanyahu responsabiliza Irã por ataque contra israelenses

linkÔnibus com turistas israelenses explode em aeroporto na Bulgária

linkExplosão lembra tentativa frustrada de ataque em janeiro

 

A confirmação foi feita ao homólogo de Mladenov em Israel, Avigdor Lieberman. Ao menos 7 pessoas morreram no ataque, embora o número ainda não tenha sido confirmado pelas autoridades. Segundo um comunicado da chancelaria israelense, Mladenov "informou ao ministro Lieberman que a explosão foi causada por uma bomba colocada no veículo".

 

Condenação

 

O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, disse apenas que houve "muitas pessoas mortas e dezenas de feridos" no incidente, que condenou. "Trata-se claramente de um ataque terrorista iniciado pelo (grupo xiita libanês) Hezbollah, (grupos palestinos) Hamas, Jihad Islâmica ou outro grupo sob os auspícios do Irã". O premiê israelense, Benjamin Netanyahu, também culpou Teerã pelo ataque.

 

Barak disse ainda que a "luta contra eles" continua, em referência a grupos terroristas. "Estamos determinados a identificar quem os enviou, quem realizou (o ataque) e a fechar a conta", afirmou.

 

O Exército anunciou, também nesta quarta, o envio de uma equipe médica para a Bulgária. Um avião com médicos seguiria ainda hoje para o país, segundo um comunicado do Exército. Segundo a nota, a equipe seria composta de médicos especializados em trauma, tratamento intensivo, cirurgia, queimaduras, além de ortopedistas e pediatras.

 

Com AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.