EFE/Chema Moya
EFE/Chema Moya

Colômbia pede retirada de outdoor de ‘Narcos’ exposto em Madri

Presidente Juan Manuel Santos afirmou que Pablo Escobar não deve ser exaltado como herói

O Estado de S. Paulo

14 Dezembro 2016 | 12h02

MADRI - A chanceler da Colômbia, María Ángela Holguín, pediu na terça-feira 13 a retirada de um outdoor da série de televisão “Narcos”, produção da Netflix, exposto na emblemática Porta do Sol, no coração de Madri. A imagem mostra o ator Wagner Moura, que interpreta o narcotraficante Pablo Escobar, e a frase “Oh, branco Natal”, em clara referência à cocaína.

Nesta quarta-feira, 14, o presidente Juan Manuel Santos afirmou que Escobar não deve ser tratado como herói e criticou a colocação do outdoor. “Pablo Escobar era um assassino que não merece em nenhuma circunstância e de nenhum ponto de vista ser exaltado como herói”, disse o presidente à rádio Onda Cero.

A chanceler, que acompanha Santos em sua viagem oficial pela Espanha após receber o Nobel da Paz em razão das negociações de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), falou sobre a polêmica em uma entrevista na embaixada colombiana em Madri.

Segundo Holguín, a embaixada entrou em contato com a prefeitura da capital espanhola e com a Netflix para que o outdoor seja retirado porque, na sua opinião, passa uma imagem negativa da Colômbia.

Um porta-voz da prefeitura disse à agência France Press que não está prevista a retirada do outdoor porque a sutileza da mensagem impede de qualificar a propaganda como algo que faz apologia ao uso de drogas.

A chanceler colombiana ressaltou os esforços do país nos últimos anos para “virar página” e superar a imagem vinculada ao narcotráfico e disse estar convencida de que essa percepção agora é diferente, embora “os preconceitos existam”.

“Como produção cinematográfica, (Narcos) é uma série muito boa. O problema é que nós colombianos vivemos esse drama de Pablo Escobar e sofremos com essa recordação”, desabafou o presidente Santos, lembrando que o chefe do cartel de Medellín mandou matar milhares de pessoas.

A série “Narcos” é uma das produções de mais êxito da Netflix e mais um capítulo da fascinação do mundo cinematográfico em torno da figura de Pablo Escobar, o narcotraficante que já foi retratado em diversos filmes e séries. 

O filho de Escobar, Juan Pablo Escobar, escreveu um livro sobre a vida do pai com a intenção de reduzir a percepção positiva que os jovens podem ter tido sobre o mundo das drogas justamente ao assistirem a produções cinematográfica. “Quero que todos entendam que não é 'cool' ser narcotraficante.” / AFP e EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.