Reprodução/Channel 4
Reprodução/Channel 4

Chanceler de Kadafi admite, em Trípoli, que reinado do ditador 'acabou'

Abdul Ati al-Obeidi conversou com rede de TV britânica; segundo ele, Kadafi esgotou opções

estadão.com.br,

24 de agosto de 2011 | 13h21

TRÍPOLI - O ministro líbio de Relações Exteriores, Abdul Ati al-Obeidi, ligado ao regime do ditador Muamar Kadafi, disse nesta quarta-feira, 24, que o reinado de 42 anos do líder "acabou".

 

Veja também:

especialRADAR GLOBAL: Acompanhe ao vivo

forum TWITTER: Siga os enviados do 'Estado' 

blog CHACRA: Situação de Assad é melhor

especialESPECIAL: 40 anos de ditadura líbia

lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’ 

 

A informação é da rede de TV britânica Channel 4, com quem o chanceler teria conversado. Não estava claro quando a entrevista teria sido gravada, mas o canal afirmou que conversou com o ministro depois do pronunciamento feito por Kadafi na noite de terça-feira.

 

Al-Obeidi, de acordo com a rede de TV, estaria em uma casa na capital líbia, Trípoli, quando concedeu a entrevista. Segundo o ministro, Kadafi teria esgotado todas as suas opções. Para ele, é improvável que o ditador, ainda desaparecido, consiga deixar o país antes de ser capturado ou morto.

 

"Não estou em contato com ninguém (do regime)", disse Al-Obeidi. "Parece que passou (o tempo) para esse tipo de solução", afirmou, em referência à fuga ou exílio do ditador líbio.

 

O ministro, de 72 anos, disse não temer pela própria segurança, segundo a AP. "Eu acho que (os rebeldes) têm uma boa impressão a meu respeito, eles me conhecem”, disse. “Acho que eles não vão me ferir ou ferir a minha família”.

 

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.