Chanceler espanhol visita Cuba para estreitar relações

O ministro de Relações Exteriores da Espanha, Miguel Ángel Moratinos, inicia neste domingo uma visita oficial a Cuba, a primeira de um chanceler espanhol à ilha em quase 10 anos, para estreitar as relações bilaterais.A visita deve ir até 3 de abril. A agenda do ministro inclui reuniões com o chanceler cubano, Felipe Pérez Roque, e outros dirigentes da ilha, segundo fontes oficiais. Não há informações sobre a possibilidade de um encontro com o presidente interino, Raúl Castro. O Governo cubano não se pronunciou ainda sobre a visita.A viagem de Moratinos, segundo analistas europeus, faz parte das tentativas do chefe de Governo espanhol, o socialista José Luis Rodríguez Zapatero, de se reaproximar de Cuba, após o esfriamento das relações durante o mandato do conservador José María Aznar. Na época, o presidente cubano, Fidel Castro, culpou a Espanha pelo endurecimento das posições da União Européia em relação a Cuba. Fidel Castro chegou a mandar fechar o Centro Cultural da Espanha em Havana, em resposta à política de Aznar, que, segundo o líder cubano, era determinada por sua amizade com George W. Bush. A crise terminou formalmente em 2005, com a "normalização" dos contatos e o fim das sanções diplomáticas impostas pela UE a Cuba devido à repressão a dissidentes cubanos. Para o social-democrata Manuel Cuesta Morúa, do Arco Progressista, de oposição, a visita é "muito positiva" e não é necessária uma reunião "simbólica" com dissidentes. Já Vladimiro Roca, da formação TodosUnidos, acha que a viagem pode ser vista como um "apoio" ao regime cubano.A Espanha é o terceiro maior parceiro comercial de Cuba, atrás da Venezuela e da China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.