Chanceler não quer troca humanitária

O chanceler colombiano, Fernando Araújo, criticou a idéia de outros setores do governo de trocar guerrilheiros presos por reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). ''''Os interesses do país estão acima dos interesses individuais. Para mim, um acordo humanitário é uma concessão à guerrilha e não concordo com essa concessão'''', disse Araújo, que ficou seis anos refém das Farc.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.