Chanceler russo critica EUA na ONU

Em seu discurso na Assembleia-Geral, em Nova York, Lavrov criticou as intervenções americanas e disse que a crise na Ucrânia foi o resultado de um golpe de Estado

O ESTADO DE S. PAULO

27 de setembro de 2014 | 18h24

NOVA YORK - Em discurso na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), neste sábado, 27, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, criticou duramente os Estados Unidos e seus aliados ocidentais. Lavrov disse que Washington deve abandonar suas pretensões de "singularidade eterna" e criticou a adoção da intervenção militar em algumas regiões.

Lavrov disse que a crise na Ucrânia foi o resultado de um golpe de Estado, apoiado pelos EUA e pela União Europeia. Ele não mencionou, porém, as alegações de países ocidentais de que a Rússia enviou tropas e armas para o leste da Ucrânia, em apoio aos rebeldes pró-Moscou. O ministro falou ainda que a anexação da Crimeia pela Rússia, em março, foi, na verdade, uma escolha da população.

O chanceler rejeitou que as sanções econômicas impostas pelo Ocidente levarão a uma crise no país e disse que o conflito na Ucrânia deixará uma lição para Washington e para a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) que, segundo ele, tentam quebrar "os laços profundos e fraternais que existem entre a população da Rússia e da Ucrânia". / ASSOCIATED PRESS 

Mais conteúdo sobre:
RússiaONUEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.