AFP PHOTO / EVARISTO SA
AFP PHOTO / EVARISTO SA

Chanceler venezuelano chama Temer e presidente do Paraguai de 'imorais'

Arreaza também chamou os presidentes de 'dinossauros da política' que se juntam e conspiram contra a democracia venezuelana

O Estado de S.Paulo

21 Agosto 2017 | 21h55

CARACAS - O chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza, desqualificou nesta segunda-feira a legitimidade democrática do presidente brasileiro, Michel Temer, e seu colega do Paraguai, Horacio Cartes, depois que ambos reafirmaram que não reconhecem a Assembleia Nacional Constituinte instaurada pelo oficialismo na Venezuela.

"Senhores Cartes e Temer: governos impopulares, produtos de golpes de Estado, rejeitados por seus povos, carecem de moral para falar de democracia", escreveu no Twitter o ministro de Relações Exteriores do governo de Nicolás Maduro.

Após uma reunião bilateral em Brasília, Temer e Cartes condenaram nesta segunda-feira "a ruptura da ordem democrática venezuelana" e a "violação sistemática dos direitos humanos e das liberdades fundamentais" por parte do governo chavista.

Arreaza também chamou os presidentes de "dois dinossauros da política" que, segundo disse, "se juntam e conspiram contra a democracia venezuelana".

Na sua declaração conjunta, os presidentes de Brasil e Paraguai insistiram em seu apoio à decisão do Mercosul de suspender a Venezuela do bloco regional, e voltaram a indicar que não reconhecem nenhum dos atos que emanem da Constituinte.

A instalação no início deste mês da Assembleia Constituinte - integrada unicamente por oficialistas e concebida pelo presidente Maduro para reordenar o Estado com plenos poderes - provocou uma onda de reações de condenação de países da América e da Europa, que consideram que este órgão afasta a Venezuela da democracia. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.