Chanceler venezuelano diz que Chávez 'manda e toma decisões'

Elías Jaua afirma que a nomeação dele como chanceler é a maior prova de que o presidente está à frente do governo

BOGOTÁ, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2013 | 02h04

O novo ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Elías Jaua, afirmou ontem que o presidente de seu país, Hugo Chávez, internado em Cuba para se tratar de um câncer, está, sim, à frente do governo venezuelano e a maior prova disso é o fato de ele ter sido nomeado para o cargo esta semana.

"Se sou o chanceler é porque o presidente Chávez está mandando e tomando decisões", declarou Jaua a uma rádio colombiana. "É o presidente da república quem nomeia ou remove ministros, ninguém mais poderia fazê-lo. Nem o vice-presidente, Nicolás Maduro, poderia me designar - nem eu aceitaria uma designação que não fosse do presidente." Maduro anunciou na terça-feira que Chávez nomeou Jaua à chancelaria e à vice-presidência política de governo, uma das cinco vice-presidências da Venezuela.

Entrevista. Maduro declarou ontem, em entrevista à agência EFE, que Chávez está muito tranquilo e consciente de todas as fases do pós-operatório e atualmente o tratamento se concentra em superar "os estragos" causados pela insuficiência respiratória. O vice-presidente assegurou que "toda a fase de infecção foi controlada". Segundo ele, o governo avalia e reavalia vários cenários, mas "no dia de hoje Hugo Chávez é o presidente e continuará sendo o presidente". Maduro lembrou que Chávez já começou o mandato 2013-2019.

Manifestações. Maduro também declarou que a oposição pode marchar em 23 de fevereiro como programado para protestar contra a decisão do Tribunal Supremo de Justiça a respeito da posse presidencial, apesar de os chavistas preverem uma manifestação no mesmo dia, quando é celebrado o fim da ditadura militar. A oposição disse que poderia mudar a data do protesto, após saber que os chavistas pretendiam marchar no mesmo dia. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.