KCNA/Reuters
KCNA/Reuters

Chanceleres de Cingapura e Pyongyang se reúnem para acertar cúpula do dia 12

Durante o encontro, ministros conversaram sobre a segurança e o protocolo para a cúpula entre Kim Jong-un e Donald Trump em Cingapura

O Estado de S.Paulo

08 Junho 2018 | 04h00

SEUL - O ministro das Relações Exteriores de Cingapura, Vivian Balakrishnan, se reuniu em Pyongyang com o chanceler norte-coreano, Ri Yong-ho, na quinta-feira, 8, e conversaram sobre a histórica cúpula entre os líderes dos Estados Unidos e Coreia do Norte, que será realizada na cidade-estado na próxima terça-feira, 12.

De acordo com a agência estatal norte-coreana de notícias "KCNA", os dois "trocaram pontos de vista sobre o fortalecimento dos laços entre os dois países" e sobre a "situação atual da cúpula entre a República Popular da Coreia (nome oficial do país) e Estados Unidos".

Balakrishnan chegou a Pyongyang na quinta-feira para realizar uma visita de dois dias, cuja meta parece ser a de especificar detalhes em torno da segurança e o protocolo para a cúpula entre os líderes da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e dos EUA, Donald Trump, que acontecerá em Cingapura.

+ Endereço da cúpula entre Trump e Kim em Cingapura é escolhido

+ Imitador de Kim se prepara para reunião histórica em Cingapura

A breve nota da "KCNA" não fornece mais detalhes sobre o encontro entre os dois chanceleres e apenas acrescentou que as conversas aconteceram em uma atmosfera "simpática e acolhedora". Espera-se que Balakrishnan também se reúna durante a sua visita à Coreia do Norte com o chefe de Estado cerimonial do país, Kim Yong-nam.

Os países envolvidos na cúpula entre Kim e Trump finalizam a histórica reunião que chegou até a ser cancelada pelas diferenças acentuadas entre as duas partes a respeito do possível modelo de desnuclearização que poderia ser adotado pelo regime de Pyongyang. No entanto, os esforços diplomáticos conseguiram reverter a situação para o que vem sendo chamado de "a cúpula do século". /EFE

Mais conteúdo sobre:
Coreia do Norte [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.