'Chantagem mesquinha' levou à renúncia, diz Berlusconi

Silvio Berlusconi, que renunciou ontem ao cargo de primeiro-ministro da Itália, classificou sua derrota como resultado de uma "chantagem mesquinha" e culpou rivais que querem "voltar no tempo".

CAMILA MOREIRA, Agência Estado

13 de novembro de 2011 | 12h37

Em uma carta enviada a um Congresso do "La Destra", movimento de direita, Berlusconi afirmou que seu governo tentou alcançar reformas, mas que acabou sucumbindo à "lógica de uma chantagem mesquinha e ao transformismo, que o é mais velho vício da política italiana."

A palavra italiana transformismo se refere na carta à propensão de membros eleitos do Parlamento a mudar de partido durante uma legislatura, frequentemente provocando a queda do governo ou adquirindo posições ministeriais em troca. A coalizão parlamentar de Berlusconi tinha 335 membros após a eleição de 2008, mas ele teve de renunciar depois de conseguir apenas 308 votos para uma importante medida orçamentária na semana passada.

"Existem pessoas que têm trabalhado duro na tentativa de empurrar o pêndulo político italiano de volta no tempo", disse Berlusconi. Ele se referia à época em que se governava por "oligarquias partidárias" no país.

Berlusconi afirmou ter esperanças de que a Itália continue em busca de um sistema político bipolar e acrescentou que o país está "dando muito, realmente muito, em termos de rigor econômico e sacrifícios" para atender às exigências de parceiros da União Europeia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaBerlusconi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.