AP Photo/Desmond Boylan
AP Photo/Desmond Boylan

Charuto de 90 metros para líder cubano

Cubano homenageia Fidel Castro em seu aniversário

O Estado de S. Paulo

14 Agosto 2016 | 20h16

O fabricante de charutos cubanos José Castelar Cairo, conhecido como Cueto, quebrou seu próprio recorde na sexta-feira ao enrolar o maior charuto do mundo: de 90 metros, comprimento de um campo de futebol. O motivo foi uma homenagem aos 90 anos de Fidel Castro. 

O ex-presidente de Cuba, que liderou a Revolução Cubana em 1959 e governou a ilha por quase meio século, era frequentemente visto fumando seu charuto favorito, um Chiba modelo fino e longo. Em 1985, Fidel parou de fumar.

“Quero dedicar esse charuto ao amado comandante Fidel Castro”, afirmou Castelar, que já havia batido o recorde mundial cinco vezes antes.

O fabricante levou dez dias para enrolar o charuto com a ajuda de diversos assistentes em uma residência de aparência espanhola da época colonial com vista para a Baía de Havana. O último recorde de Castelar era um charuto de 82 metros.

Orgulho. O cubano, de 72 anos, aprendeu a enrolar charutos quando tinha apenas 5 anos. Para ele, é uma questão de “orgulho nacional” manter o recorde na ilha. “O melhor tabaco do mundo é cubano, portanto acho que Cuba deve manter esse recorde”, afirmou Castelar, acrescentando que a tarefa foi desafiadora.

O comprimento do charuto foi verificado por uma autoridade da embaixada britânica, que disse que enviaria uma carta ao livro de recordes mundiais Guinness pedindo o reconhecimento do recorde. 

Os charutos têm sido o produto com a assinatura de Cuba desde 1492, quando Cristóvão Colombo viu nativos fumando raspas de tabaco enroladas ao navegar pelas ilhas do Caribe. / NYT

 

Mais conteúdo sobre:
Fidel Castro Cuba Havana Charuto

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.